Café Hacker abre dados da Iluminação Pública da cidade

Você sabia que, de Perus a Marsilac, são necessários 560 mil pontos de luz para cobrir todos os distritos da cidade? Acompanhar cada um deles é um trabalho bastante complexo, uma vez que a fiação nunca teve um sistema capaz de notificar falhas da rede, mas bastante importante, já que seu bom funcionamento tem reflexos em outras questões, mais notadamente a segurança.

Para buscar soluções para este desafio, a Secretaria Municipal de Serviços e a Controladoria Geral do Município vão realizar nesta quinta-feira, 12 de março, o “Café Hacker Iluminação”, um encontro entre desenvolvedores, jornalistas, designers, pesquisadores e demais cidadãos interessados para pensar a disponibilização de informações sobre o tema.

Para esquentar o debate, que acontecerá no Mobilab da SPTrans, o Departamento de Iluminação Pública (ILUME) divulgará seu catálogo de bases de dados e abrirá sua base de solicitações e atendimentos e a base georreferenciada dos pontos de iluminação da cidade.

Que tal um diálogo sobre esses dados? Existe alguma forma que você gostaria de visualizá-los? Já pensou em cruzamentos que podem ser interessantes? Quer saber no que isso pode interferir na sua região? Inscreva-se neste link e venha participar do debate.O MobiLab comporta cerca de 60 pessoas e haverá transmissão online.

Café Hacker Iluminação

Local: MobiLab: Rua Boa Vista, 136 (mezanino), São Paulo, SP
Hora: 18h30 a 21h00
Data: 12 de março de 2015

Inscreva-se: https://docs.google.com/forms/d/1ojhC_rGDalQi9-e6IMlmd0wwM6x88P5xY77rEv2q_G8/viewform

pt

“Making of” da análise sobre o perfil etário dos funcionários da Administração Indireta

Para dar transparência ao caminho feito até as tabelas do post anterior e para inspirar outras análises, é interessante compartilhar e registrar aqui os passos necessários para se construir o breve estudo sobre a faixa etária dos funcionários das maiores empresas da Prefeitura de São Paulo.

Em primeiro lugar, baixamos a base “Folhas de Pagamentos: Valores.zip” desta página do Portal da Transparência (a base está no pé da página).

Ao descompactar o arquivo, você verá a planilha com alguns números e textos. As duas primeiras colunas trazem, respectivamente, o ano (14 é 2014; logo 15 é 2015) e o mês.

Na terceira coluna está um código que representa a entidade da Administração Indireta em questão.  O número 2;  por exemplo, é a COHAB; o 3 representa a PRODAM. Como sabemos isso? É que existe uma tabela que relaciona o número à empresa. Essa tabela (“Entes: Listas.csv”)pode ser baixada na mesma página do Portal da Transparência citada acima.
Continue lendo

Um em cada quatro funcionários das empresas públicas tem mais de 55 anos de idade

Costuma-se dizer que o quadro funcional da Prefeitura de São Paulo está envelhecido e que é preciso renovar seus quadros técnicos. É o que afirmou, por exemplo, o cientista político Fernando Abrucio em entrevista à rádio CBN em janeiro último.  Graças aos dados da Administração Indireta (dados tornados publicamente disponíveis pela Controladoria Geral do Município em parceria com a Secretaria de Finanças), é possível verificar a veracidade desta afirmação nas empresas públicas municipais.

Essa análise é importante, pois subsidia a política de Recursos Humanos dessas empresas, desde decisões sobre contratações – devido a eventual escassez de mão de obra por causa de aposentadorias e falecimentos – até decisões sobre custeio (as gratificações por tempo de serviço podem estar onerando os caixas das empresas).

Os dados demonstram que as cinco maiores empresas públicas municipais têm, somadas, 9.186 funcionários. A média de idade varia dos 42 (SPTuris) aos 46 (PRODAM).

(*) exclui membros dos conselhos administrativo e fiscal
(**)Idade em 31/12/2014
Continue lendo

Café Hacker vai publicar análises com dados abertos da Prefeitura

Para quem servem os dados abertos?
Servem, entre outras coisas, para se fazer estudos e análises. Se a informação, além de estar disponível, estiver acessível em um formato que pode ser editado (remixado, reorganizado etc), ficará muito menos difícil realizar estudos técnicos e análises.

Como incentivo, o blog do Café Hacker vai passar a publicar análises sobre os dados que vêm sendo abertos por iniciativa da CGM e de outras Secretarias e entidades da Prefeitura de SP.

Para começar, vamos trabalhar com os dados das empresas públicas municipais, que foram divulgados no Café Hacker da Administração Indireta em novembro de 2014, realizado numa parceria entre a Secretaria Municipal de Finanças e Desenvolvimento Econômico (SF), e a CGM.

Na ocasião, foram apresentados os dados de 17 entes da Prefeitura de São Paulo, sendo 10 empresas, 5 autarquias e 2 fundações e  manifestações no sentido de tentar aprimorar ainda mais a exposição das informações (veja aqui como foi).

Qual será a média de idade dos funcionários das principais empresas públicas da cidade de São Paulo? Nos próximos posts serão apresentados quais cálculos são necessários para descobrir essa informação, algumas considerações a respeito de seus resultados a as ferramentas necessárias para realizá-los. Até lá!

Participantes do Dia Internacional de Dados Abertos criam projetos sobre crise da água e fazem pedidos para abertura de novas bases

Na última segunda-feira, 21/02, foi celebrado o Dia Internacional dos Dados Abertos (Open Data Day2015). A celebração contou com mais de cem eventos por todo o planeta, seis desses aqui no Brasil. A edição da cidade de São Paulo, organizada por Transparência Hacker, PoliGNU e Controladoria Geral do Município, foi sediada pelo Labhacker, próximo ao metrô Armênia.

As atividades tiveram início ainda na parte da manhã, horário que não é lá tão apreciado para o público mais característico, e só foram encerradas no final da tarde, às 17h. Neste período, cerca de 30 pessoas, entre programadores, pesquisadores, engenheiros, servidores públicos, arquitetos, jornalistas e estudantes, estiveram reunidos em busca de estratégias para acessar informações e produzir conteúdos relevantes e didáticos que ampliassem a transparência dos serviços públicos.

Continue lendo

São Paulo participa do Dia Internacional dos Dados Abertos neste sábado (21/2)

International Open Data Day 2015 terá mais de 100 atividades distribuídas pelo mundo

OpenDataDay2

No próximo sábado, 21, acontece o Open Data Day 2015, uma série de eventos com o objetivo de defender e encorajar a adoção de políticas de dados abertos em todas as esferas de governo em todo o planeta.

Neste dia, cidades de países como Austrália, Canadá, França, Japão, Quênia, México, e Índia sediarão mais de cem de eventos relacionados à abertura de dados. O Brasil também está na lista com 6 eventos registrados até o momento, nas cidades de São Paulo – SP, São Carlos – SP (Siga Lei), Porto Alegre – RS (MateHackers e CCDPOA), Teresina – PI (Teresina Hacker Clube), Vila Velha – ES (CCDVV) e no Distrito Federal (Calango Hacker Club) .

Para os paulistanos, os organizadores são a comunidade de prática sobre transparência e participação política Transparência Hacker, o Grupo de Estudos em Software Livre da POLI-USP PoliGNU e a Controladoria Geral do Município de São Paulo (CGM-SP).

Continue lendo

Café Hacker vai apresentar dados das empresas públicas municipais  

Dados administrativos e financeiros das 18 empresas, autarquias e fundações que fazem parte da Administração indireta, como fluxos de caixa, demonstrativos de resultados e indicadores de endividamento, passarão a ser publicados regularmente

A Prefeitura de São Paulo passará a disponibilizar noPortal da Transparência, em formato aberto e acessível por máquinas, todas as informações administrativas e financeiras relacionadas às 18 empresas, autarquias e fundações que fazem parte da Administração Indireta.

Para apresentar os dados, a Controladoria Geral do Município e a Secretaria Municipal de Finançase Desenvolvimento Econômico promovem no dia 27 de novembro, às 9h, umCafé Hacker que contará com a participação de técnicos do Departamento de Defesa de Capitais e Haveres do Município (DECAP). Serão convidados para o evento jornalistas, pesquisadores, programadores e representantes de associações e de movimentos sociais com foco na questão da transparência e do controle social, que poderão fazer perguntas e sugestões.

CET, COHAB, PRODAM, SPDA, SPOBRAS, SPNEGÓCIOS, SPSEC, SPTRANS, SPTURIS, SPURBANISMO, AHM, AMLURB, TMSP, FUNDATEC, HSPM, IPREM, SFMSP e SPCINE recebem anualmente quase 30% dos recursos arrecadados pelo Município. Em 2013, o valor destinado à Administração Indireta superou R$ 9 bilhões.

Continue lendo

O governo está aberto: entre que a casa é sua!