Café Hacker discute modelo do portal participativo

Objetivo do encontro foi debater ideias para tornar o portal de planejamento e orçamento participativo da cidade mais didático para a população

Encontro de hoje debateu ideias para tornar o portal do Ciclo Participativo de Planejamento e Orçamento da Cidade um canal mais atrativo e didático
Em sua terceira edição, o Café Hacker que aconteceu na tarde de hoje, na sede da Prefeitura, debateu ideias para tornar o portal do Ciclo Participativo de Planejamento e Orçamento da Cidade um canal mais atrativo e didático para a população. O novo modelo, que deve ser apresentado no próximo dia 16, tem o objetivo de apresentar o Programa de Metas de forma rápida e objetiva, para que os munícipes possam acompanhá-las.


“Espero que este novo sistema tenha informações sobre para onde vai o dinheiro arrecadado juntamente com a geolocalização dos dados. Assim os usuários poderão saber o que está sendo feito na sua região”, afirmou a professora do curso de Gestão de Políticas Públicas da Universidade de São Paulo, Gisele Craveiro, que também ressaltou: “As pessoas não se interessam pelo orçamento público, mas pelos serviços públicos oferecidos à elas.”
Organizado pela Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão (Sempla) de São Paulo, em parceria com a Controladoria Geral do Município (CGM), a discussão contou com a participação de programadores, ativistas e organizações da sociedade civil que promovem iniciativas na área. Neste primeiro momento, foram discutidas ferramentas e linguagens de programação a serem adotadas no portal, com a previsão de realização de outros encontros para discussão da política de planejamento e orçamento e da própria plataforma.
“A sugestão para a criação de um plano de metas surgiu da nossa rede. O nosso sonho agora é que sejam utilizados instrumentos para tornar o acesso mais fácil para o cidadão, para que ele possa utilizar este canal sem que haja grandes mudanças de um governo para o outro e consiga acompanhar e comparar toda a situação da cidade”, afirmou Airton Goes, da Rede Nossa São Paulo.
Iniciado em agosto, o modelo “Café Hacker” tem sido organizado pela CGM, em parceria com secretarias municipais, para discutir a organização de dados públicos em sistemas e portais da Prefeitura. Outros encontros como este já estão sendo organizados para a discussão de novos modelos, entre eles para o Portal da Transparência.
 

Neste primeiro momento, foram discutidas ferramentas e linguagens de programação a serem adotadas no portal
Fonte : SEMPLA
Fotos: Cesar Ogata / SECOM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.